quinta-feira, 12 de maio de 2016

BANCO IRÁ RETIRAR SEGURO EMBUTIDO EM CRÉDITO PARCELADO. A PACTUAÇÃO FOI REALIZADA NA PROMOTORIA DO CONSUMIDOR COM A PARTICIPAÇÃO DA AMESE.

Audiência contou ainda com José Olino de Castro, representante do Procon Municipal (Foto: Portal Infonet)

O Banco do Estado de Sergipe (Banese) vai retirar num prazo de 45 dias a cobrança de seguro embutido no Crédito Parcelado e Crédito Rotativo nos canais de auto-atendimento. Foi o que ficou acertado durante audiência na manhã desta quinta-feira, 12, na Promotoria dos Direitos do Consumidor do Ministério Público Estadual (MPE/SE).

A audiência presidida pela promotora Euza Missano, foi provocada pela Associação dos Militares do Estado de Sergipe (Amese). “Existem reclamações de militares e seus familiares com relação à tela de acesso nos terminais de autoatendimento, com apresentação de publicidade para empréstimos, bem como o fato de ser embutido seguro em crédito parcelado e retroativo”, afirma o advogado da entidade, Márlio Damasceno.

O gerente de Marketing do Banese, Edvam Clinger da Silva Ferreira, explicou que a tela inicial de acesso que aparece com apresentação da oferta de crédito é um marketing do banco. “Mas a gente se compromete a avaliar essa forma de publicidade, para somente lançar a opção de empréstimo em menu principal, garantindo livre opção do consumidor. Ou na possibilidade de protetor de tela, excluindo a ostensividade quando o consumidor introduz o cartão para iniciar os serviços”, ressalta.

Na ocasião, a promotora Euza Missano informou que os representantes do banco presentes à audiência [Edvam Clinger e o Daniel Rosas do Carmo], se comprometeram a retirar, no prazo, em 45 dias a cobrança de seguro embutido no Crédito Parcelado e Crédito Rotativo nos Canais de auto-atendimento.

“Devendo somente cobrar o seguro se essa for opção do consumidor na agência. Quanto aos consumidores que já contraíram  empréstimos estando embutido o valor do seguro, poderão nas agências respectivas, fazer repactuação através de novo contrato de empréstimo, para que possa optar ou não pelo seguro”, enfatiza.

Fonte:  Infonet (Aldaci de Souza)

Nenhum comentário:

Postar um comentário