sexta-feira, 13 de maio de 2016

ATUAÇÃO DA ASSESSORIA JURÍDICA DA AMESE EM AUDIÊNCIA JUNTO AO MP É DESTAQUE NO BLOG DO JORNALISTA CLÁUDIO NUNES ACERCA DE EMPRÉSTIMOS COM VENDA EMBUTIDA DE SEGURO.

AMESE INFORMA -  Audiência MPE: empréstimos com venda embutida seguro

Ontem, 12, a Associação dos Militares do Estado de Sergipe - AMESE, representada pelo assessor jurídico, Márlio Damasceno, esteve presente a audiência pública realizada pelo Ministério Público Estadual, através da Promotoria de Defesa do Consumidor que tem à frente a promotora Euza Missano, acerca de empréstimos com venda embutida de seguro.

Ao ser aberta a audiência foi dada a palavra ao representante da AMESE que informou que existem diversas reclamações de militares e seus familiares com relação a empréstimos que são feitos através do autoatendimento do Banese, onde é embutido um seguro, tanto em crédito parcelado quanto rotativo, fato que é vedado pelo Código de Defesa do Consumidor, caracterizando uma venda casada.

Outro falo levantado pelo Dr. Márlio Damasceno, foi a questão da tela de acesso nos terminais de autoatendimento do Banese, com apresentação de publicidade de empréstimos, que tem influenciado, principalmente os idosos, a tomarem empréstimos que não desejavam de forma equivocada. Para o assessor da AMESE, é perfeitamente possível ao banco utilizar a tela de descanso para fazer propaganda dos seus produtos, porém, após o cliente introduzir o cartão para realização de operações bancárias, não se pode fazer propaganda que leve o consumidor a erro e contrair empréstimo que não era desejo seu.

Após mediação por parte da promotora Euza Missano, o Banese se comprometeu de que no prazo de 45 (quarenta e cinco dias) vai retirar o seguro embutido no crédito parcelado e no crédito rotativo nos canais de autoatendimento, devendo somente cobrar pelo seguro, se essa for poção do consumidor na agência. No que pertine aos consumidores que já contraíram empréstimos estando embutido o valor do seguro, informa o banco que esses poderão, nas agências respectivas, fazer a repactuação, através de novo contrato de empréstimo, para que possa optar ou não pelo seguro. Em relação a tela inicial de acesso que aparece como apresentação de oferta de crédito, o Banese se comprometeu a avaliar essa forma de publicidade, para somente lançar a opção de empréstimo no seu menu principal, garantindo livre opção ao consumidor ou na possibilidade de protetor de tela, excluindo a ostensividade quando o consumidor introduz o cartão para iniciar os serviços bancários.

Ainda de acordo com o assessor jurídico da AMESE, cabe aos clientes saberem se é vantajoso ou não adquirir o seguro juntamente com o empréstimo. Caso os clientes que pagaram ou estão pagando o empréstimo, juntamente com o seguro e não desejariam ter contratado este, poderá acionar judicialmente o banco, para ser ressarcido do valor pagado indevidamente, corrigido.

A AMESE orienta os servidores públicos militares que estiverem nesta situação, a procurar a entidade para o ajuizamento da devida ação. Desta forma, a assessoria jurídica da AMESE mostra-se na vanguarda da defesa dos direitos dos militares sergipanos e da sociedade em geral.

Fonte:  Blog do jornalista Cláudio Nunes

Nenhum comentário:

Postar um comentário